“Meu amigo Garoto, o gênio das cordas” no Clube Português-SP por Mário Albanese

sáb, out 5, 2013

Artistas, Eventos, Vivendo o Choro

“Meu amigo Garoto, o gênio das cordas” no Clube Português-SP por Mário Albanese

Meu Amigo Garoto, choro de Mário Albanese composto, em homenagem feita em vida, nos idos de 1950. Em sequência, parceria com Mário Albanese na música Amor Indiferença, composição que integra o Álbum Comemorativo dos 100 Anos do Choro no Brasil,  editado pela Fermata, em 1977.

O paulistano Garoto, Aníbal Augusto Sardinha, nasceu aos 28 dias de Junho de 1915 numa terça-feira e morreu no Rio de Janeiro aos três (3) dias de Maio de 1955, terça-feira, com 39 anos e 11 meses. Sua precocidade musical surpreendeu os familiares e extasiou os músicos e os apreciadores da época. De imaginação criativa e habilidade incomum Garoto dominou vários instrumentos fato que lhe garantiu o qualificativo de O Gênio das Cordas! Realmente, tinha absoluta intimidade com o banjo, cavaquinho, bandolim, violino, guitarras portuguesa e havaiana, violoncelo, contrabaixo, e também  um violão de cinco cordas  parecido com o cavaquinho, afora a  bandola de sons graves e oito cordas.

Seu espírito inovador o levou a projetar, juntamente com o luthier Del Vecchio, o violão tenor de  (4) quatro cordas e com (10) dez bocas de metal no seu tampo para ganhar volume sonoro e timbre característico. Obtida a patente foi lançado em 1933 e mostrou-se de grande utilidade em conjuntos regionais no Brasil e no exterior. Garoto apresentou-se nos Estados Unidos  com oBando da Lua e Cármen Miranda empunhando, literalmente, o seu  violão tenor! Inventou ainda um bandolim-cello de quatro (4) cordas e de sonoridade grave.

Garoto criou novas estruturas que transformaram o violão num elo de união entre a música popular e a erudita, estreitando o abismo existente. Em seus braços os instrumentos de corda se aninhavam com carinho, fazendo a música fluir expressiva, como um  organismo pulsante e dinâmico. Introduziu detalhes técnicos como a pestana oblíqua que ocupa duas casas do violão ao mesmo tempo, o uso do dedo mínimo da mão direita, uma inovação incorporada à técnica tradicional e queenriqueceu a harmonia com acordes de 5 e 6 notasRadamés Gnatalli, de quem Garoto era amigo e vizinho de sítio, em Areal, perto de Petrópolis escreveu um Concerto para Violão inserindo as inovações do Garoto que o interpretou em 1953, no Teatro Municipal do RJ, para ser o primeiro violonista brasileiro a se apresentar naquele palco. Garoto executou esse mesmo Concerto em São Paulo aos 12 de Agosto de 1954, quinta-feira, no auditório da Rádio Gazeta, com a participação do pianista Fritz Jank e a Orquestra regida pelo Mº Armando Bellardi.

No domingo, 15.08.1954, em casa na Rua Tupinambás 164, a comitiva do Rio, Garoto, Radamés Gnatalli, respectivas esposas e mais um casal, saborearam um lauto almoço feito pela Profª Clara Albanese, minha mãe. Desse momento histórico, o registro em fita nos permite ouvir Radamés tocando sua composição Canhoto ao piano e o Garoto interpretando Lamentos do Morro. Aos 19 dias  de fevereiro de 1955, sábado, convidei o Garoto e José Vasconcellos para apresentarem o show de abertura do baile pré-carnavalesco Dizzy Foot, no Tênis Clube Paulista. Sucesso! Dois meses depois o desenlace e a imorredoura saudade.

Acreditando que o pensamento cria, o desejo atrai e a fé no trabalho realiza, conto com seu imprescindível apoio para difundir a comemoração que faremos no Clube Português São Paulo no Domingo, 6 de Outubro de 2013, às 15h00 com o tema CHORO, GAROTO E CORDAS.

 

Mário Jequibau Albanese

 

Clique na imagem para ampliar



, , , ,

3 Comentários para ““Meu amigo Garoto, o gênio das cordas” no Clube Português-SP por Mário Albanese”

  1. João Tomas do Amaral Says:

    Prezado Mário Albanese!!!

    É com grande satisfação que registramos a sua predileção e leal amizade pelo gênio das cordas – Garoto. Indiscutivelmente, Aníbal Augusto Sardinha inovou e deu novas cores ao violão brasileiro e a música instrumental brasileira.

    Parabéns pela organização de mais esta homenagem, mais que merecida ao mestre das cordas – Garoto.

    Contamos com os Chorões de plantão!!!

    Até a próxima!!!

    João Tomas do Amaral

  2. Marcello Laranja Says:

    Maravilha meus caros Mário Albanese e João Tomás, tenho certeza de que o evento de domingo em homenagem a Garoto no Clube Português será coberto do mais amplo sucesso.
    Até lá, se Deus quiser.
    Abraços a todos
    Marcello Laranja (Clube do Choro de Santos)

  3. Mário Jequibau Albanese Says:

    Belíssima ideia! Com certeza será um grande entretenimento! Sorte de quem puder estar presente!


Escreva um comentário